3 Ao meu ver


           Untitled


Agora que o “nós” já não existe mais, tudo me parece estranho, como se meu mundo estivesse todo errado. O que é irônico, pois eu nunca me senti tão livre. Não livre para sair amando qualquer um, mas livre de uma maneira diferente. Simplesmente livre.  

Eu rio desesperadamente desse meu infortúnio. Como posso estar assim? A verdade é que eu sinto falta do seu sorriso, do seu abraço, do seu ser. Eu sinto sua falta. É um caso de saudade que não possui cura. Não posso dizer que sinto falta do “nós” porque não tenho muita certeza de que isso se enquadre nessa doença, mas não vou negar que existe um pouco de saudade aqui.

Disseram-me que isso foi um caso que acabou mal entendido, eu discordo.  Nós nos entendemos muito bem, e você, eu acredito, que resolveu sua parte comigo, mas eu não resolvi minha parte. As coisas que queria te falar ainda carrego comigo, estão aqui quietinhas esperando o momento certo para serem ditas, se é que algum dia existirá o momento certo. Às vezes eu solto uns versos aqui e ali na esperança que você capite de alguma maneira, mas nunca funcionou. Talvez amanhã eu crie coragem para te falar tais coisas, ou talvez eu nunca te fale nada, não sei, é algo a se resolver.

Mas é fato que eu não consigo te esquecer.  Brinco comigo mesmo achando é que o Destino que não me deixa fugir, para dizer a verdade, eu meio que acredito nessa brincadeira. Pode parecer loucura, mas a cada passo que eu dou para longe de você, você da um passo para perto de mim. Acho que é por isso que acredito na minha piada interna com vermência.

Então, o meu mundo continua parecendo errado, com as coisas fora do lugar, uma grande bagunça, mas não há a quem culpar, nem você ou eu. Por isso eu vou levando, tentando arrumar umas coisinhas ali e outras aqui. Aos poucos eu vou deixando tudo arrumadinho, do jeitinho que era antes de você chegar.

3 comentários :

Danielle Aguiar disse...

Muito obrigada por sua visita ao meu blog Renata!
Em breve estarei fazendo minhas visitas ao seu!

danielleaguiar.blogspot.com.br

Renata Leite e Isadora Klauck disse...

Que texto bonito, parabéns! Não sei se foi inspirado em algo real, mas achei bem tocante rsrs.
Beijos,
Renata.
viciadas-em-livros.blogspotcom.br

Yasmim Meirelles disse...

Obrigada Renata *-*
É ficticio mesmo, haha.
Beijoo

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p

 

Copyright © 2012 Petit Poá! Elaborado por Marta Allegretti
Usando Scripts de Mundo Blogger