2 Todas as cartas de amor...

Eu adoro esse poema de Álvaro de Campos. As vezes encontro cartinhas antigas, ou lembro das cartinhas que eu fazia (que coisa ridicula) e lembro desse poema e me identifico de mais, kkkkkk e imagino que muitas de vocês tambem.


Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

Álvaro de Campos, 21/10/1935

Muito fofo espero que tambem gostem assim como eu. 

2 comentários :

Aline Diedrich disse...

E quem não gosta dessas coisinhas rídiculas da vida, né?! ehehe

FB alinediedrich.blogspot.com

Daphne Lorane disse...

Todos nós já tivemos nosso momento.. "ridículo" da vida ((:

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p

 

Copyright © 2012 Petit Poá! Elaborado por Marta Allegretti
Usando Scripts de Mundo Blogger